SISTEMA PLANIF
Esqueci minha senha
Fazer cadastro
Plano de ensino
Campus: CAMPUS UNIÃO DA VITÓRIA
Professor: EDERSON AMÉRICO DE ANDRADE
Componente: Nutrição Animal
Ano: 2023
Período: SEGUNDO_SEMESTRE
Curso(s): Bacharelado em Agronomia
Série/período/semestre: 8
Total Hora Aula: 40.0
Total Hora Relógio: 34.0
Duração da aula (min): 51
Status do plano de ensino: Publicado
Data de criação: 30/11/2023
Última atualização: 30/11/2023
Ementa
Princípios da nutrição animal: nutrientes, classificação, composição e valor nutritivo dos principais alimentos e seus subprodutos utilizados na alimentação animal. Importância da análise dos alimentos destinados à alimentação animal. Necessidades nutricionais dos animais. Digestão dos alimentos. Fatores que afetam o consumo. Princípios nutritivos: das proteínas, dos lipídios, dos glicídios, das vitaminas, dos minerais e dos aditivos. Suplementação animal.
 
Objetivo Geral
OBJETIVO GERAL:
Possibilitar a compreensão dos diferentes aspectos que envolvem a nutrição e a alimentação animal, para que o estudante seja capaz de tomar decisões relativas ao planejamento nutricional de animais de interesse zootécnico.

OBJETIVO ESPECÍFICO:
- Entender a importância do estudo da nutrição animal;
- Conhecer a classificação e a composição dos alimentos;
- Compreender as diferenças na digestão de carboidratos, proteínas e lipídeos em animais ruminantes e não-ruminantes;
- Entender a importância de vitaminas e minerais na nutrição e saúde dos animais;
- Conhecer os principais alimentos utilizados na nutrição animal e usos alternativos a eles;
- Ter noções sobre formulação de rações de modo a realizar uma formulação manual simples;
- Aplicar conhecimentos sobre exigências nutricionais dos animais.
 
Metodologia
Metodologia
Serão ministradas aulas expositivas, interativas e dialogadas e os alunos serão requisitados a fazer leituras complementares para que possam ser feitas discussões e dinâmicas, estas leituras serão realizadas em materiais científicos pertinentes ao conteúdo trabalhado, possibilitando aos estudantes troca de ideias, problematização, discussão, fixação e compreensão dos conteúdos. Serão realizadas aulas práticas, estudos de caso e apresentação de seminários, de acordo com o assunto abordado. As visitas técnicas, palestras, participação de eventos e aulas práticas em propriedades ou estabelecimentos industriais da região, quando possíveis, resultarão em relatórios e pesquisas bibliográficas sobre o assunto visto, de forma a visualizar na prática e contrastar com o saber científico a respeito do tema, instigando o estudante a correlacionar a prática com a teoria. A Ferramenta utilizada como ambiente virtual para o armazenamento e gerenciamento dos conteúdos ministrados em sala de aula, será o Google Classroom, com atividades postadas na sala virtual da disciplina. A plataformas Google Meet será utilizada para os atendimentos síncronos, desde que previamente agendados e acordados entre docente e discente. A comunicação direta entre os estudantes e professor de dará presencialmente ou através de aplicativo WhatsApp ou por e-mail. Os casos de estudantes com necessidades educacionais específicas, que precisarem de adaptações aos conteúdos ofertados, serão discutidos junto à Seção Pedagógica e de Assuntos Estudantis e ao Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Educacionais Específicas do Campus, para conjuntamente adotar a melhor estratégia de ensino, portanto a metodologia da disciplina poderá ser adaptada a depender das especificidades identificadas em cada caso.
 
Avaliação
As avaliações serão realizadas de forma contínua e diversificada, através de debates dos conteúdos, relatórios, pesquisas e apresentações de conteúdos aprendidos pelos discentes durante as aulas, relatórios, questionários, provas, elaboração e apresentação de seminários, participação, assiduidade e comprometimento do discente durante as aulas, aos quais serão atribuídos conceito de A a D, conforme determinação superior.
De acordo com a Resolução nº 50, de 14 de julho de 2017, que estabelece as normas de avaliação dos processos de ensino-aprendizagem no âmbito do IFPR, o processo de avaliação deste componente curricular será: Diagnóstico, considerando o conhecimento prévio e o construído durante o processo de ensino-aprendizagem, considerando os resultados apresentados pelos estudantes nas diferentes etapas do processo educativo; Formativo, ocorrendo durante todo o processo de ensino-aprendizagem, sendo contínuo, interativo e centrado no processo por meio do qual o estudante (re)constrói seus conhecimentos; Somativo, possibilitando a avaliação dos objetivos pretendidos e apresentando os resultados de aprendizagem em diferentes períodos. A aprovação dos estudantes ocorrerá considerando a obtenção de conceito A, B ou C na componente curricular e frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento) da carga horária total na componente curricular. Os critérios para obtenção dos conceitos estão descritos na tabela a seguir:


Não serão aceitos trabalhos atrasados. As atividades deverão ser feitas pelo aluno e entregues conforme normas da ABNT. Caso se observe plágio, as notas das avaliações copiadas serão atribuídas conceito D (a original e as cópias).
A recuperação paralela ocorrerá em conformidade com a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional e define que as instituições de ensino deverão prover meios para a recuperação dos alunos de menor rendimento (Art.12, V), incumbindo aos docentes a responsabilidade de estabelecer estratégias de recuperação aos estudantes (Art. 13, IV), de preferência paralelos ao período letivo (Art. 24, IV-e). Seguindo a orientação dada pela Resolução nº 50 de 14/07/2018, a recuperação de estudos é obrigatória e se dá em duas formas, a saber, como recuperação contínua que constitui um conjunto de ações desenvolvidas no decorrer das aulas para a retomada de conteúdos que ainda não foram apropriados e/ou construídos pelos estudantes e recuperação paralela que busca a superação de dificuldades encontradas pelo estudante, envolve a recuperação de conteúdo e possível alteração de conceito. Seguindo as orientações do documento supracitado, “serão ofertados estudos de recuperação paralela a todos os estudantes, principalmente aos que apresentarem baixo rendimento, tão logo sejam identificadas as dificuldades no processo ensino aprendizagem”. Só tem direito à recuperação paralela aquele aluno que fez a avaliação regular, ficando a mesma vetada àqueles que não realizaram a avaliação regular e não solicitaram segunda chamada. As atividades de recuperação paralela serão: provas substitutivas, listas de exercício, relatórios, estudos dirigidos, testes escritos, práticos e/ou orais. O horário de apoio ao acadêmico (atendimento ao estudante) deve ser utilizado para questionamentos e sugestões sobre os conteúdos trabalhados, caracterizando-se como espaço para realização de recuperação paralela dos conteúdos eventualmente não compreendidos pelos alunos em sala de aula. Faltas permitidas: 25% da carga horária da disciplina.  Para efeito de presença em aula, será permitida tolerância de 10 minutos.
Conteúdo programático
- Introdução à nutrição animal (evolução, importância, definições, conceitos básicos e termos técnicos);
- Classificação e composição dos alimentos;
- Aspectos anatômicos e fisiológicos do aparelho digestivo de monogástricos e ruminantes;
- Rúmen e Digestão Fermentativa;
- Alimentação animal: classificação dos alimentos e caracterização dos alimentos;
- Digestão de carboidratos, proteínas e lipídeos em animais ruminantes;
- Digestão de carboidratos, proteínas e lipídeos em animais não- ruminantes;
- Exigências nutricionais e utilização dos nutrientes pelos ruminantes e monogástricos;
- Doenças metabólicas (acidose, cetose, timpanismo e hipocalcemia);
- Vitaminas e minerais na nutrição e saúde dos animais;
- Principais alimentos utilizados na nutrição animal;
- Alimentos alternativos na nutrição animal;
- Noções de formulação de rações (quadrado de Pearson);
- Balanceamento de rações e de mistura minerais.
Recursos
Serão utilizadas tecnologias digitais de informação e comunicação e equipamentos como celular, notebook e similares, também será necessário o uso do sistema de redes Internet. Para possibilitar os procedimentos, estarão disponíveis recursos como data show, fotos, vídeos, textos, livros e artigos, computadores, quadro negro, entre outros que se fizerem necessários.
Referências
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
FILHO, S. C. V.; MACHADO, P. A. S.; et al. Tabelas brasileiras de composição de alimentos para ruminantes. Viçosa: UFV, 2015.
KAMWA, E. B. Nutrição animal, nutrição química e aspectos bioquímicos: termos essenciais. 2. ed. São Paulo: Nandyala, 2014.
PESSOA, R. A. S. Nutrição animal: conceitos elementares. São Paulo: Érica, 2014,

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
ANDRIGUETTO, J. M. Nutrição animal. São Paulo: Nobel, 2002, v. 1.
ANDRIGUETTO, J. M. Nutrição animal. São Paulo: Nobel, 2002, v. 2.
COUTO, H. P. Fabricação de rações e suplementos para animais: gerenciamento e tecnologias. Viçosa: Aprenda Fácil, 2001.
NEIVA, R. S. Criação eficiente de bezerras e novilhas. São Paulo: Editora Autor, 2013.
Observações